Notícias quentes
Eu Joguei a Demo do Mortal Kombat 9

Eu Joguei a Demo do Mortal Kombat 9

Fui chamado ontem para ir à casa do Rafael, amigo meu, que está com um Playstation 3 recém chegado. Aproveitando a intimidade, já pedi com tom de imposição que ele baixasse a demo do Mortal Kombat 9. É claro que eu não poderia perder a oportunidade de jogar a demo do título mais comentado aqui …

Review Overview

Gráficos
Audio
Jogabilidade
Replay

Jogue! E reze para que o jogo final seja ainda melhor!

Summary : Vocês se espancam e o dano fica no corpo dos Kombatentes, os efeitos de luz e sombra são lindos e o 3D é um extra gráfico. A jogabilidade 2D é perfeita ao extremo, os efeitos sonoros e músicas são daquele jeito que só quem jogou um MK pode reconhecer. Por ser uma demo, porém, não tem muita coisa a se fazer. Vale a diversão com os amigos por algumas horas, mas a intenção é te deixar sedento pelo jogo completo.

84

Fui chamado ontem para ir à casa do Rafael, amigo meu, que está com um Playstation 3 recém chegado. Aproveitando a intimidade, já pedi com tom de imposição que ele baixasse a demo do Mortal Kombat 9. É claro que eu não poderia perder a oportunidade de jogar a demo do título mais comentado aqui no O Gamer dos últimos meses. E, quer saber? Fazia muito tempo que não jogava algo tão bom.

E não é só “bom“, é “bom em todos os sentidos“. Visualmente o jogo é muito bonito: os modelos são convincentes, mas não realistas. O resultado é que, com isso, tudo funciona tão bem: você espanca corpos que vão se dilacerando aos poucos, você luta em frente à árvores antropomórficas, você congela adversários no ar e, como o jogo não tem como premissa a realidade (ao contrário do que acontece com Crysis, por exemplo), nada parece artificial. Encontrar esse equilíbrio foi um dos maiores sucessos dessa geração de jogos de luta 2.5D… Street Fighter IV que o diga.

Falando em Street Fighter, a jogabilidade foi claramente emprestada do título: esqueça aquelas animações quadradas e movimentos estranhos da época do MKIII: o jogo é rápido, os personagens são ágeis e os controles fluem que é uma beleza.. E, mais que isso, os personagens também. A jogabilidade está tão evoluída que você se pega vendo uma luta cheia de combos, teletransportes, mudanças de posição, blocks e contra ataques.

Ah sim, os personagens! Eles são a melhor parte da demo: foram retrabalhados, não somente visualmente, mas também conceitualmente. Temos à nossa disposição somente Scorpion, Johnny Kage, Mileena e Sub Zero. Suas características principais foram tão bem trabalhadas que grande parte da experiência de MK9 é redescobrir velhos conhecidos: Mileena é um demônio e ganhou ataques bem nessa linha: pulos bizarros, mordidas, punhaladas e o fatality mais pesado dos 4 lutadores disponíveis. Scorpion ganhou uma série de ataques com as espadas e muito fogo. Johnny Cage finalmente mostrou-se o artista marcial que tanto se fala em sua história, com combos tão encaixados que dariam inveja à Bruce Lee. Sub Zero, por fim, é o personagem mais hit’n run da Demo, com diversas formas de congelar o inimigo, deixando ele aberto para combos. Novos ataques foram adicionados a todos os jogadores, reservando para os veteranos aquela agradável sensação de “nossa! Maneiraço o ataque!

Dentre as novidades prometidas na mecânica do jogo a demo traz os Enhanced Moves, os X-Ray Moves e os Breakers, todos ligados à barrinha do canto inferior da tela. Ela funciona exatamente como a barra de super combos dos jogos da Capcom, diminuindo a cada uso de uma das habilidades, mas aumentando ao bater ou apanhar. Os Enhanced Moves são os mesmos especiais que você usa na batalha, mas apertando também um botão extra. Assim eles passam a causar mais dano, ganham um efeito visual mais maneiro e tornam-se mais úteis nos combos (qualquer semelhança com os Ex Moves dos Street Fighters da vida NÃO é mera coincidência). Os breakers servem justamente para que você se proteja de tais combos, quebrando a sequência do adversário. Os X-Ray Moves são os equivalentes aos Super Combos, sendo ativados com o pressionar de 2 botões simultâneos. O personagem ativa um ataque que, se acertar, inicia a sequência em raios X. Vale lembrar que um X-Ray Move pode comer 45% da tua energia total e varia de personagem prá personagem: Scorpion teletransporta-se e pega o adversário por trás, Sub Zero se congela e espera o momento certo para se lançar para cima do inimigo e Johnny Cage libera seus ataques como um contragolpe.

Como se não bastasse, consegui também jogar a demo em 3D. Os efeitos são sutis, porém dão aquele efeito “uau” às batalhas. “Adicionou alguma coisa ao jogo, Tiago?” Não, nada. Com ou sem o efeito de 3D, o jogo é exatamente o mesmo. Porém, ter a clara noção entre os planos de combate na The Pit é indescritível: só jogando mesmo para ver. Literalmente.

O que foi prometido, foi cumprido: mostrou o básico da jogabilidade, o trabalho em cima dos personagens e deixou aquele gostinho de “quero mais“. A demo, infelizmente, não foi mais além: hoje estou aqui seco para ver os outros 20 e tantos personagens, o tag team, os modos extras, fatalities, novas arenas e tudo mais que só estará disponível na versão completa. Minha recomendação, porém, fica aqui: Se puder baixá-la, faça-o imediatamente pois você não vai se arrepender!

E você? O que espera de Mortal Kombat 9?

Curta O Gamer no Facebook!

Sobre Tiago Frossard

Analista de Sistemas por formação e gamer por opção. Fascinado por interatividade, gameplay, jogos em 2D e MMORPGS, não tem se maravilhado muito dos jogos AAA da atualidade, que parecem seguir sempre uma fórmula de vendas e pouca inovação. Para ele, nada melhor que um bom indie para passar o tempo.